Mercado

Mercado da moda ganha cada vez mais novos seguidores

Mercado da moda ganha cada vez mais novos seguidores

Para entender as narrativas da moda e a importância no cotidiano, profissionais de outras áreas buscam se especializar no assunto.

 

A moda cumpre, cada vez mais, um papel social no cotidiano, influenciando, assim, outros segmentos. Por essa razão, o mercado de produção de moda está se tornando uma área que atrai potenciais produtores dos mais variados interesses e profissões.

Segundo Junior Gabardo, coordenador da Pós-Graduação em Produção de Moda, Comunicação e Styling da Universidade Positivo, a moda é transversal. “Por isso, pessoas de todas as profissões e formações se interessam em estudar o tema, moda está em tudo”, enfatiza.

Um dos atrativos da profissão, na opinião de Gabardo, são as inúmeras opções de mercado que as pessoas têm para trabalhar. “O profissional pode ser aproveitado em áreas como figurino de teatro, cinema e TV, jornalismo de moda, além da própria produção de moda, de roupas, acessórios e até mesmo moda pet”, relata o professor.

Para a publicitária Hingrid Meinelecki, buscar uma formação na área foi necessária para trazer maior repertório em seu campo de atuação. “Sou formada em publicidade e decidi estudar moda quando trabalhava com criação de conteúdo. Percebi que ter esse conhecimento de moda me ajudaria a desenvolver uma visão melhor e ter mais noção estética”, aponta.

Por ser uma área que abrange um público cada vez maior, a jornalista Fabiana Cunha, por sua vez, optou por seguir atuando no mercado da moda após o início dos estudos. “Começar a estudar moda me deu uma visão maior, a oportunidade que precisava para me apaixonar pela a área e começar a atuar”, salienta.

De acordo com Gabardo, para os profissionais da área, moda é considerada comportamento, acima de consumo. "Hoje, dificilmente, existe uma padronização de vestimenta para todos os tipos de corpos e não existe mais uma única moda que todos são obrigados a seguir. Isso acontecia entre o final do século 19 e início do século 20, quando a França dominava esse mercado no mundo ocidental.

Atualmente, as pessoas sentem-se livres para escolher peças que expressam suas identidades e suas relações com o mundo, afinal, a roupa também é narrativa e como toda boa história ela pode ser repetida mil vezes. Esses são os indicativos para o profissional que atua com moda, acompanhar os novos movimentos do mercado”, conta.

 

Fonte: Primeira Página.

 

Redes Sociais