Indústria

Para indústria de calçados, manutenção da Selic não surpreende

Para indústria de calçados, manutenção da Selic não surpreende

A decisão do Copom no dia 6 de fevereiro segue o que esperava a maior parte do mercado, inclusive a Abicalçados.

 

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, é compreensível que no encerramento de seu mandato, o atual Copom mantivesse a taxa Selic sem alteração. “A partir da direção de Roberto Campos Neto, todavia, gera-se a expectativa de redução e, principalmente, uma substancial queda dos juros bancários praticados no mercado".

A Selic foi mantida pela sétima vez seguida em 6,5% ao ano, deixando a taxa em seu menor patamar da história. O mercado financeiro, nada surpreso, já começa a avaliar a possibilidade de um novo ciclo de corte de juros começando este ano.

Em comunicado, o Banco Central ressaltou que o cenário externo permanece desafiador, mas com alguma redução e alteração de perfil de risco. Para o BC, diminuíram os riscos de curto prazo associados à normalização das taxas de juros em algumas economias avançadas, porém aumentaram os risco associados a uma desaceleração da economia global.

A recuperação gradual da economia e as expectativas sobre as classes de aprovação da reforma da previdência são os principais fatores que guiam as projeções de analistas e investidores. O otimismo de que o governo conseguirá levar adiante sua proposta no Congresso começa a levantar as chances de que o BC poderá voltar a cortar os juros.

 

Leia também: Desemprego recua 3% em 2018 e País fecha o ano com 12,2 milhões sem ocupação

Leia também: SMS se mantém como canal efetivo de relacionamento com consumidores

 

Fonte: Primeira Página, com informações da Abicalçados.

Redes Sociais