Feira

Walter Rodrigues apresenta a Metodologia da Pirâmide com as etapas de desenvolvimento das vendas

Walter Rodrigues apresenta a Metodologia da Pirâmide com as etapas de desenvolvimento das vendas

“Atingir o consumidor que tem coragem de ousar, esse é o segredo”, diz o especialista.

 

Muitas vezes, uma loja é iniciada em um momento de empreendedorismo somado à paixão pelo trabalho e pela necessidade de gerar renda. Deve-se planejar, criar estratégias e sistematizar processos. Esse foi o lead da palestra de Walter Rodrigues, Coordenador do Núcleo de Design e Pesquisa do Inspiramais, na Francal 2019, ao apresentar a Metodologia da Pirâmide para o lojista.

De acordo com o especialista, tal metodologia no dia-a-dia ajuda a evitar erros nos serviços e nas vendas, o que significa mais lucros. Ela organiza as maneiras de pesquisar, comprar e dispor produtos com a implementação das etapas 10%, 30% e 60%.

Segundo Walter, os 10% significam inovação: que é construída a partir do DNA e dos propósitos de cada loja. “Aqui, os valores citados se unem ao contexto mundial e à pesquisa “inspiracional”, formando um estudo para que o novo produto possa gerar marketing, imagem positiva e assegurar em longo prazo a presença do varejista no mercado”, completa.

Enquanto isso, a etapa dos 30% corresponde aos resultados da inovação quando começam a dar frutos. “O ponto inicial desta ação deverá ser a verificação do ranking de vendas dos 10% da coleção passada, pois é a partir daí que se devem basear os novos produtos a serem comprados”, frisa o especialista.

Já os 60% da base da pirâmide mostram que quando uma loja nasce ela vem de uma experiência anterior, de um legado familiar ou mesmo de um impulso. “Nesse ponto, devemos buscar qual foi o produto inicial do empreendimento que gerou o sucesso, o lucro e o sentido para o negócio estar sólido hoje”, ressalta.

Para finalizar, o coordenador do Inspiramais falou sobre a importância de o lojista ter ciência dos produtos clássicos, básicos e retrabalhá-los com materiais diferentes, tendo em mente que eles são reconhecidos e comerciais. “Nesse ponto, vale incluir pequenas coleções e projetos especiais para reduzir volumes acumulados de estoques passados, criando, assim, mais ofertas de produtos. A força dos 60% está em vender bem e rápido”.  

 

Leia também: Futuro do varejo está na aceitação das redes e novos formatos, definem especialistas na Francal 2019

Leia também: Francal apresenta seu novo posicionamento a partir da próxima segunda-feira, dia 3

 

Fonte: Primeira Página.

Redes Sociais