Indústria

Em oito meses, Estados Unidos importam 8 milhões de calçados brasileiros

Só em agosto, a compra de 748 mil pares de calçados verde-amarelos por US$ 15,63 milhões representa incremento de 18% em pares e de 5,8% na receita.

 

Os embarques dos calçados brasileiros, de janeiro a agosto deste ano, registraram 76,66 milhões de pares, que geraram US$ 644 milhões – altas de 8,2% em volume e de 2,5% em receita ante o mesmo período de 2019.

Segundo Haroldo Ferreira, presidente executivo da Abicalçados (Associação Brasileira das Indústrias de Calçados), a valorização do dólar deixa o preço do calçado brasileiro mais competitivo no exterior. “Como os custos das indústrias são em reais, quando o dólar valoriza, temos a possibilidade de formar preços mais baixos”.

Por sinal, dados da própria Abicalçados apontam que, no mês de agosto, o preço médio do produto enviado ao exterior foi de US$ 8,24, enquanto no mesmo mês de 2018 foi de US$ 9,10. Tais fatos explicam a primeira posição dos Estados Unidos no ranking das exportações brasileiras.

Com a compra de 748,58 mil pares de calçados verde-amarelos por US$ 15,63 milhões, os norte-americanos foram os principais clientes internacionais no oitavo mês do ano, com incrementos de 18% em pares e de 5,8% na receita em comparação com 2018.

No acumulado de janeiro a agosto, os Estados Unidos somam 8 milhões de pares importados, pelos quais foram pagos US$ 135,87 milhões – altas de 32% e de 35,4%, respectivamente, em relação ao ano passado.

De acordo com a Abicalçados, o movimento é esperado e deve continuar ocorrendo até o final do ano, especialmente em função da guerra comercial entre Estados Unidos e China, que tem encarecido o produto asiático com tarifas extras de importação.

Como era de se esperar, o segundo lugar no pódio brasileiro é ocupado pela Argentina, apesar da crise interna. No mês de agosto, os argentinos importaram 1,12 milhão de pares, pelos quais foram pagos US$ 11 milhões. Com isso, no acumulado dos oito meses, o País soma a importação de 5,76 milhões de pares e US$ 65,73 milhões.

Já França se mantém na terceira posição. Em agosto, os franceses importaram 1,18 milhão de pares, pelos quais foram pagos US$ 6,36 milhões – incrementos de quase 300% em volume e de 52,4% em receita na relação com mesmo mês de 2018. Com o resultado, o País soma a importação de 4,93 milhões de pares e US$ 39,5 milhões – alta de 23,4% em volume em relação ao ano passado.

Os três principais exportadores

O Rio Grande do Sul segue como o principal exportador de calçados do Brasil, respondendo por 46% do total gerado com os embarques em 2019. Nos oito meses do ano, os gaúchos embarcaram 19,76 milhões de pares por US$ 296,8 milhões. A segunda posição fica com o Ceará, de onde partiram 26 milhões de pares que geraram US$ 160,4 milhões – altas tanto em volume (1,1%) quanto em receita (7,2%) em relação ao mesmo período do ano passado.

No terceiro posto aparece São Paulo. De janeiro a agosto, os paulistas embarcaram 4,9 milhões de pares por US$ 67,67 milhões – incremento de 7,6% em volume e queda de 3,2% em receita no comparativo com igual período de 2018.

 

Leia também: Mulheres empreendedoras são protagonistas de Fórum em São Paulo

 

Leia também: Alpargatas abre inscrições para o projeto Trainee Global

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais