Entidades

Estados Unidos continua como o principal destino dos calçados brasileiros

Argentina segue com o segundo lugar e França com o terceiro.

 

Dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apontam que, no mês de setembro, foram embarcados para o exterior 8,6 milhões de pares, que geraram US$ 73,47 milhões.

Com o resultado, de janeiro a setembro, os calçadistas somaram a exportação de 83,3 milhões de pares que geraram US$ 718,1 milhões – altas de 5,6% em volume e de 2,5% em receita em relação a 2018.

Mais uma vez, o líder do ranking é os Estados Unidos. Historicamente, o País continua como o principal destino do calçado brasileiro no exterior, tendo importado 992,8 mil pares por US$ 14,24 milhões – incrementos de 122% em volume e de 68% em receita na relação com mesmo mês de 2018.

Já no acumulado dos nove meses, os norte-americanos somaram a importação de 8,9 milhões de pares, que geraram US$ 150,23 milhões, incremento tanto em volume (38,4%) quanto em dólares (38,1%) na relação com igual período do ano passado.

A Argentina segue como o segundo destino do calçado brasileiro. Em setembro, o País importou 1,25 milhão de pares por US$ 11,38 milhões – incremento de 12% em volume no comparativo com mês correspondente do ano passado. Na soma dos nove meses, os argentinos compraram 7 milhões de pares por US$ 77,14 milhões.

O terceiro destino do produto verde-amarelo no exterior foi a França, que em setembro importou 385,17 mil pares por US$ 2,62 milhões. Com isso, os franceses somaram, nos nove meses, a importação de 5,32 milhões de pares, pelos quais foram pagos US$ 42,23 milhões – alta de 0,4% em volume ante ao ano passado.

O principal exportador dos nove meses do ano continua sendo o Rio Grande do Sul. Impulsionadas pelos embarques para os Estados Unidos, as exportações gaúchas somaram 22,6 milhões de pares por US$ 332,97 milhões.

Por sua vez, o Ceará foi a segunda principal origem das exportações brasileiras de calçados. Nos nove meses, as fábricas cearenses embarcaram 28,3 milhões de pares, que geraram US$ 173,58 milhões. Já o Estado de São Paulo ficou em terceiro lugar. No acumulado do ano, os paulistas embarcaram 5,72 milhões de pares por US$ 76,79 milhões.

 

Leia também: Conselho de Moda Britânico lança instituto para práticas sustentáveis

 

Leia também: Livro propõe método de adaptar vendas à indústria 4.0

 

Fonte: Primeira Página

 

Redes Sociais