Notícias


Publicado em:
8
11/2018

SENAI Brasil Fashion apoia educação profissional

Quinta edição do projeto conta com participação de nomes como Alexandre Herchcovitch, Lenny Niemeyer, Lino Villaventura e Ronaldo Fraga



Metatags: SENAI Brasil Fashion, Alexandre Herchcovitch, Lenny Niemeyer, Lino Villaventura, Ronaldo Fraga.

Com as minicoleções já em fase de confecção, o projeto SENAI Brasil Fashion entra em sua reta final até o desfile de conclusão, que acontece no final de novembro. Desenvolvido com estudantes dos cursos de Moda, Design e Vestuário de unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de todo o País, ele passa por diversas etapas, que podem ser acompanhadas pelo público na internet.

Em sua quinta edição, o SENAI Brasil Fashion conta com a participação dos consagrados estilistas Alexandre Herchcovitch, Lenny Niemeyer, Lino Villaventura e Ronaldo Fraga. Por meio de vídeos e fotos postados nas redes sociais, as duplas participantes e os coaches mostram o andamento do processo de desenvolvimento das peças.

“As plataformas digitais servem para que as pessoas não vejam o projeto apenas como um evento, um desfile de apresentação das peças, mas, sim, como um plano de educação profissional que desenvolve talentosos estudantes de moda. Ao longo desses meses em que estão envolvidos na concepção de suas minicoleções, eles adquirem experiências únicas que, certamente, irão acompanhá-los ao longo de suas carreiras”, explica Marcelo Ramos, curador do SENAI Brasil Fashion, que é organizado pelo SENAI CETIQT.

Com o tema “Todo mundo tá na moda”, o SENAI Brasil Fashion 2018 promete levar às passarelas peças criadas para uma grande diversidade de público, como deficientes visuais, estilos andrógenos; corpos diversos e até os idosos que continuam ativos na terceira idade.

“Esta é uma tendência geral no mundo: aproximar a moda da realidade da vida das pessoas”, ressalta Ramos. E foi justamente esse o desafio que o SENAI Brasil Fashion 2018 deu aos estudantes: pensar na diversidade de interesse dos públicos consumidores, que muitas vezes são desconhecidos por quem cria os produtos da moda. “A grande maioria das marcas acaba trabalhando para um público ideal ou muito restrito”, diz o curador.

Assuntos bastante abordados na atualidade, tecnologia e sustentabilidade também não ficaram de fora do escopo do plano de educação profissional do SENAI Brasil Fashion deste ano. Com todas as ferramentas de conectividade e tecnologias inerentes à Quarta Revolução Industrial, que farão parte do mercado de atuação desses estudantes, é preciso que eles estejam atentos e preparados para as novas formas de consumo, principalmente via recursos digitais.

Segundo Marcelo Ramos, o setor têxtil e de confecção será bastante impactado pela Indústria 4.0, mudando aos poucos o formato de como se produz moda hoje. Neste sentido, surge também o conceito de que o profissional do design terá que pensar em trabalhar sob demanda, produzindo de acordo com a escolha do cliente.

Para isso, terá que entender bem esse público consumidor, cada vez mais múltiplo, para oferecer opções adequadas ao perfil dele, além das tendências. “Tanto os coaches quanto os consultores do SENAI CETIQT discutem permanentemente com os alunos essa perspectiva do futuro da moda, como, por exemplo, as tecnologias envolvidas na produção das peças que garantem maior sustentabilidade ao processo produtivo”, explicou.

A fim de formar profissionais completos, o projeto do SENAI Brasil Fashion é dividido em três fases. A primeira é a de imersão, na qual os alunos adquirem conhecimento para o desenvolvimento de seus projetos, por meio de palestras, de visitas técnicas e de um conjunto de informações que suscitam reflexões em torno do tema.

A segunda fase é o processo de criação em si, quando eles apresentam os protótipos de suas peças para que os coaches e consultores possam propor ajustes. Nesta fase, eles decidem também como vão comunicar a coleção e o tema durante o desfile.

São escolhidos os elementos que irão compor os looks, trilha sonora e cenografia. Na terceira e última fase, que acontece um dia antes do desfile, são feitas as provas de roupas e beleza nas modelos que irão desfilar as peças para que sejam feitos os ajustes finais, caso necessário.

O desfile de apresentação das minicoleções será em 22 de novembro, no Espaço Ação Cidadania, no Rio de Janeiro, com a participação de top models e modelos new faces que têm traços que fogem dos padrões tradicionais.

Fonte: Primeira Página – Foto: Marcelo Soubhia / Agência Fotosite


Últimas notícias

Cinco dicas do Sebrae para quem quer abrir um e-commerce

Plano de negócio é o primeiro passo para os interessados.
Leia Mais

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito apontam que mais de 110 milhões de consumidores devem ir às compras e investir, em média, R$ 116 por produto.
Leia Mais

Shopper Bag é a nova opção das fashion girls

Funcional, bolsa gigante também é sinônimo de moda.
Leia Mais