Notícias


Publicado em:
27
4/2018

Disposição dos produtos é fator mais importante em uma loja, dizem 60% dos consumidores

Pesquisa encomendada pela Abiesv traz conclusões sobre o varejo



Metatags:

Da fachada da loja até o seu provador, foram vários os tópicos abordados pela pesquisa encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo (Abiesv), realizada pela Qualibest, primeiro Instituto de Pesquisas online do País, com mais de 250 mil usuários cadastrados.

Entre as várias constatações importantes aos lojistas está o fato de que 56% dos consumidores de lojas de shopping acham que o fator mais importante em um estabelecimento comercial é a boa disposição dos produtos; 53% se importam com o serviço de caixa, que deve ser rápido; e 39% querem amplo espaço para circulação.

E, ainda, 38% se preocupam com a boa climatização (ventilador e ar condicionado) e 31% com bons provadores. No caso de consumidores de lojas de ruas, as porcentagens sofrem algumas poucas alterações. Chama a atenção, por exemplo, a boa climatização, que sobe para 43%.

O consumidor, também, nota outros aspectos, mas com menor relevância, como bons provadores (32%), boa sinalização de setores (23%), fachada atrativa e espaço para descanso, como sofás (ambos com 17%) e música ambiente agradável (12%).

Segundo Akira Nagata, presidente da Abiesv, o estudo faz parte de uma série de sondagens que pretende mapear o comportamento do consumidor brasileiro, com a intenção de fornecer informações para subsidiar a cadeia de fornecimento do varejo abrangida pela Associação.

“Apesar do avanço digital, sabemos que há consumidores que não deixam de comprar em lojas físicas ou os que adquirem produtos em canais físicos e digitais. Nosso objetivo é buscar insights que possam fazer com que o setor esteja alinhado às ideias de consumo e que possa contribuir ainda mais com a criação de espaços agradáveis para os clientes”, explica.

Fachada atrativa

Comparando aspectos físicos da loja em geral, como espaço, provadores, caixa, entre outros, a fachada não aparece com alta relevância. Porém, é um aspecto fundamental para atrair compradores. Por meio dela, consumidores já conseguem ter uma primeira impressão sobre se possuem identidade e se “combinam” com a loja.

De acordo com o universo pesquisado, 63% acham que a fachada é fundamental para identificar a marca; 59% identificam se a loja combina com seu gosto pela fachada (destes, 62% são do sexo feminino). Analisando a fachada, 57% dos entrevistados decidem se vão entrar na loja ou não (60% do sexo feminino) e a mesma porcentagem já sabe se a loja é cara ou barata. E, ainda, 50% já sabem se tem produtos de qualidade pela fachada.

Provadores amplos

A maior parte dos consumidores costuma usar o provador antes de comprar (74% sempre e 22% às vezes). E o mais importante é encontrar um provador com espaço amplo, de acordo com 30% dos entrevistados. Uma boa iluminação também está entre os principais requisitos (20%), seguido de ter uma boa ventilação (18%), vários espelhos (15%) cabideiro (11%) e poltrona (7%).

Entre os entrevistados, 51% são do sexo masculino, e 49% do sexo feminino. Eles têm entre 18 e 66 anos de idade (55% deles estão entre 25 e 44 anos). São das classes sociais A, B e C, de várias partes do País, mas predominantemente dos estados de São Paulo (27%) e de Minas Gerais (12%).

Destes, 79% costumam fazer compras em lojas de shopping centers, 57% em lojas de comércio de rua e os demais em feiras livres e outros. 54% fazem compras também pela Internet.

Fonte: Primeira Página, com informações da Abiesv


Últimas notícias

Smartphone é principal ferramenta de compra online para 33% dos internautas

Estudo do SPC Brasil e CNDL aponta também que 74% dos internautas usam celular em ao menos uma etapa de compra online
Leia Mais

Desafios e oportunidades da transformação digital

No Happy Hour com Tecnologia do IBTeC, especialista apontará caminhos para a conexão na indústria calçadista
Leia Mais

Grupo norte-americano de e-commerce vem ao Brasil em busca de calçados femininos

Iniciativa do Brazilian Footwear prevê visitas a fábricas e showrooms nas regiões gaúchas do Vale do Sinos e Vale do Paranhana, os dois principais polos de calçados do Brasil.
Leia Mais