Notícias


Publicado em:
9
2/2018

Artigo: O futuro da moda: você, profissional, está preparado?

Gerente de Educação do SENAI CETIQT, Robson Marcus Wanka fala sobre o papel do profissional de moda frente aos desafios da revolução tecnológica.



Metatags:

Nos últimos anos, muitas carreiras profissionais passaram por mudanças. Algumas se adequaram aos novos tempos, outras sofreram transformações radicais, outras tantas foram extintas e muitas outras ainda surgirão. O mundo da moda passa por uma verdadeira revolução.

A 4ª Revolução Industrial, para ser mais específico, que já bate à nossa porta e nos mostra que a conectividade é a chave para o futuro. Com a explosão de tantas novidades, os profissionais do setor têm buscado especializações cada vez mais direcionadas à tecnologia, o que vem atropelando quem insiste em se manter parado no tempo.

A Confecção 4.0 é a grande novidade que marca a integração entre os espaços físico e virtual, os consumidores, os produtos, as máquinas, os softwares, os sistemas produtivos e a cadeia de fornecimento. Isso significa a produção de uma roupa cada vez mais personalizada e exclusiva, feita com a ajuda de diversos componentes tecnológicos.

Mas, diante de tanta robotização, sobra espaço para a interferência humana? Sim! E muito! Mão de obra específica para atuar na programação e no desenvolvimento de tais componentes ainda é escassa. Precisamos de cabeças pensantes para inovar e fazer com que todos esses equipamentos trabalhem em harmonia.

Já há no mercado cursos de formação de profissionais capazes de projetar a indústria do futuro em empresas de confecção, vestuário e têxtil, seguindo os moldes da Confecção 4.0. O objetivo é torná-los especialistas capazes de integrar tecnologias, gerando processos industriais mais eficientes, produtivos e sustentáveis.

Como dito anteriormente, a chave para o futuro é a conectividade e a integração de todo o processo produtivo. Além de levar inovação às empresas e ao mercado como um todo, a conectividade vai reduzir custos com mão de obra e tempo de trabalho, ao mesmo em tempo que deve favorecer maiores ganhos.

É importante ressaltar, portanto, que o mercado da moda vai buscar cada vez mais novos profissionais que saibam lidar com a tecnologia, que sejam capazes de alimentar a indústria com modernas ideias e, principalmente, que passem a atuar de acordo com as necessidades reais desse novo mercado. Até porque o público já vem mudando a forma de consumir.

Não há mais tempo para sair em busca da roupa perfeita enquanto se experimenta uma infinidade de peças. A consciência ambiental e a preocupação com o desenvolvimento sustentável também começam a fazer parte do cotidiano dos consumidores. Assim, os profissionais da moda precisam embarcar logo nessa nau futurística, se quiserem se manter no mercado daqui a alguns – poucos – anos.

Robson Marcus Wanka é gerente de Educação do SENAI CETIQT; formado em Engenharia Industrial Elétrica, com mestrado em Metrologia Científica e Industrial. Possui 20 anos de experiência em empresas multinacionais e nacionais de grande porte dos segmentos de tecnologia, infraestrutura, energia, educação e consultoria. Coordenou o projeto de implantação no SENAI CETIQT da primeira Planta Industrial de Confecção 4.0 do Brasil.

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada


Últimas notícias

Cinco dicas do Sebrae para quem quer abrir um e-commerce

Plano de negócio é o primeiro passo para os interessados.
Leia Mais

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito apontam que mais de 110 milhões de consumidores devem ir às compras e investir, em média, R$ 116 por produto.
Leia Mais

Shopper Bag é a nova opção das fashion girls

Funcional, bolsa gigante também é sinônimo de moda.
Leia Mais