Notícias


Publicado em:
22
8/2017

Vídeo dá dicas a calçadistas sobre mercado russo

Produzido pelo programa Brazilian Footwear, material apresenta dados estatísticos e entrevistas com representantes do varejo do país.



Metatags:

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e o escritório da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) na Rússia realizaram um estudo do mercado russo.

O objetivo do material, produzido em vídeo e que faz parte do escopo do Brazilian Footwear - programa mantido em parceria pelas duas entidades -, é orientar os fabricantes nacionais sobre as peculiaridades de um dos mais importantes mercados do mundo, que somente em 2016 movimentou mais de US$ 10 bilhões.

No vídeo são detalhados dados sobre o mercado russo e constatado, por meio de entrevistas com representantes do varejo local, que os calçadistas brasileiros ainda engatinham na adaptação dos produtos de acordo com o gosto e necessidades do consumidor daquele país.

“É um grande mercado consumidor e que deve crescer de forma constante nos próximos cinco anos, tendo uma dependência cada vez maior por calçados importados - hoje 75% dos calçados consumidos na Rússia são de fora do país”, explica a coordenadora de Promoção Comercial da Abicalçados, Letícia Sperb Masselli.

Segundo ela, existe um interesse muito grande pelos calçados brasileiros, mas o Brasil é percebido apenas como fornecedor de calçados de verão. “O verão russo tem duração curta, de dois meses. O restante do ano é inverno, mais ou menos rigoroso, condição climática que exige diferenciais como impermeabilização, isolamento térmico e solado antiderrapante para uso no gelo e na neve”, aponta.

Letícia comenta que ainda são poucas as empresas brasileiras que adaptam seus produtos para mercados com a característica climática da Rússia. “No vídeo, o fabricante nacional interessado naquele mercado recebe dicas preciosas para a confecção de um produto que resista a temperaturas entre 20 e 25 graus celsius negativos”, conta.
A coordenadora alerta que o mercado russo exige um investimento de longo prazo, um desafio, mas envolve muitas oportunidades. “O varejista local reconhece o produto brasileiro, em termos de qualidade, mas ainda se ressente de uma flexibilidade maior do fabricante nacional para adaptação de materiais”.

Para assistir ao vídeo, visite o link: https://youtu.be/PM0tl9howbs.

Fonte: Primeira Página


Últimas notícias

Cinco dicas do Sebrae para quem quer abrir um e-commerce

Plano de negócio é o primeiro passo para os interessados.
Leia Mais

Natal deve movimentar R$ 53,5 bi na economia

Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito apontam que mais de 110 milhões de consumidores devem ir às compras e investir, em média, R$ 116 por produto.
Leia Mais

Shopper Bag é a nova opção das fashion girls

Funcional, bolsa gigante também é sinônimo de moda.
Leia Mais